SINARQUIA E A SOCIEDADE FUTURA

 

 

 

A ideia de Sinarquia foi desenvolvida por Saint-Yves d’Alveydre e tem a ver com um sistema filosófico-político de uma Sociedade Perfeita governada por Sábios e não por politicos como acontece actualmente.

Este personagem nascido em Paris no ano de 1842,  foi considerado um dos luminares da Teosofia, aclamado pelos Rosa-crucianos como um mestre ímpar, e uma das mais proeminentes figuras em França a partir da 2ª metade do séc. XIX.

    Alexandre Saint-Yves d'Alveydre  foi autor de várias obras, como  "O Arqueômetro",  "A teogonia dos Patriarcas",  “A Missão dos Soberanos” entre  uma colecção vasta de textos intitulados "As missões" que cobre grandes períodos históricos. Estudou profundamente os escritos de Fabre d’Olivet e interessou-se pelas filosofias orientais, pela tradição iniciática ocidental e pelos temas clássicos da Antiguidade, com especial ênfase no Egipto. Foi profundamente influente nos movimentos rosacrucianos franceses da sua época, bem como nos movimentos teosóficos, martinistas e outros de carácter ocultista ou secretista como a Maçonaria da qual foi membro. Morreu em 1909.

Alguns estudiosos consideraram-no membro de Agartha, uma cidade misteriosa conhecida há milhares de anos pelos Mestres Hindus e Monges Tibetanos. Ele teria mesmo recebido instrução de um  grupo de emissários do Oriente encabeçados pelo Princípe Hardjij Scharipf a respeito da cidade secreta localizada no “Centro do Desconhecido”, naquelas terras além dos Polos, como dizia o Vice-Almirante Richard Byrd quando fez suas expedição ao Polo Norte e adentrou a Terra em milhares de kilómetros, tendo contactado uma civilização superior tal como relata em seu Diário que foi encontrado depois da sua morte e publicado no ano de 1992.

Mas voltando a Saint-Yves, ele já sabia da existência  dessa Sociedade Perfeita cujo sistema organizacional ele preconiza que venha a formar-se num mundo pós-democracias em que viverão as gerações futuras, embora muitos considerem sua visão utópica por ser demasiado avançado para a humanidade actual que ainda não estaria preparada para tal, pois não haverá mais Sindicatos de Trabalhadores, nem Patronatos Exploradores, nem Bolsas de Valores e Mercados Especuladores.

A Sinarquia baseia-se num modelo de Sociedade onde não haverá mais injustiças nem desigualdade social e todos viverão em paz e harmonia universal. A organização dos povos assentaria no perfeito equilibrio e entendimento de que todos devem trabalhar para o bem comum, com a correcta repartição da riqueza para suprir todas as necessidades dos cidadãos que têm o seu “direito de berço” garantido.

A Organização dessa Sociedade assenta em três aspectos principais de governação da "coisa pública". Trata-se da divisão do poder Judicial, do poder Económico e do poder Espiritual, pilares simbolicamente como Força, Beleza e Sabedoria. Cada um destes pilares é governado em equilíbrio com os restantes e não em conflito ou sobreposição. Cada um é ocupado por um Chefe reconhecido pelas suas qualidade e virtudes como um Sábio na área a que preside .

A Sinarquia será pois um “Adventum Regnum Tumm” que marcará um Novo Ciclo na História da Humanidade após esta sofrer as necessárias transformações para que seja possivel continuar a viver de forma sustentável neste Planeta onde só ficarão os mais justos que sobreviverem ás catástrofes naturais ou dias de grandes atribulações.

A minha própria visão da Sociedade futura será aquela que faz parte de uma Mensagem que enviei para a Assembleia-Geral das Nações Unidas em 1995 e deixo aqui:

http://www.novaera-alvorecer.net/Mundo_Novo.htm

Pode ser Utópica, como a Sinarquia de Saint-Yves de Alveydre, mas é aquela que  creio venha a concretizar-se no futuro.

Rui Palmela

   

 Voltar