AS CONSEQUÊNCIAS DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E DO AQUECIMENTO GLOBAL

 

 

Segundo previsões que constam num certo Relatório, o Mundo atravessará um periodo de grandes transformações devido a catástrofes e calamidades nunca vistas pelas alterações climáticas bruscas que poderão ceifar muitas vidas, associado a guerras e conflitos generalizados numa luta desigual pela sobrevivência.

Esta previsão não vem de nenhum visionário anónimo, de um pregador da Bíblia, ou dos ‘falsos profetas’ dos últimos tempos que surgem como cogumelos em tempo de chuva.  A revelação vem de um relatório oficial secreto do Pentágono na posse do Governo dos E.U.A. que acabou por transpirar para a imprensa em Fevereiro de 2004.

O relatório foi pedido por Andrew Marsahll, influente Conselheiro de Defesa do Pentágono nas últimas três décadas, e baseia-se em estudos científicos minuciosos realizados nos últimos anos para tentar prever grandes catástrofes naturais desencadeadas pelo homem com sua forma de Civilização, porquanto agride e destrói a Natureza a um ritmo nunca visto sofrendo as consequências de tantas loucuras, ganância e ambição.

Em 9 de Fevereiro/2004, a revista norte-americana Fortune publicou pela primeira vez  informações preocupantes sobre a matéria, com detalhes técnicos do próprio Pentágono, confirmando uma sombria previsão. O título desse trabalho é Climate Collapse, the Pentagon’s Weather Nightmare  (Colapso climático, o pesadelo do Pentágono). O articulista David Stipp afirma mesmo que a Terra experimentará dentro de pouco tempo grandes mudanças que seriam  impossiveis de prever há alguns anos atrás e que os problemas para nossos filhos e netos são hoje bem reais.  Stipp diz ainda que, em menos de uma década,  «o clima no mundo pode virar como uma canoa que se inclina pouco a pouco até emborcar de repente»... A previsão é que essa mudança brusca poderia ocorrer entre 2010 e 2020.  

 

 

Em 22 de Fevereiro/2004, a revista britânica Observer  também publicou as informações do Pentágono que acabaram por ganhar repercussão internacional, visto que veio corroborar a primeira publicação reforçando assim o já anteriormente anunciado. Aos poucos, os responsáveis que elaboraram esses estudos vieram a público manifestar-se confirmando tudo, o que provocou a crítica de alguns sectores da sociedade norte-americana e europeia que ficaram irritados com o facto do Governo dos E.U.A  ter escondido essas informações por muito tempo até que a imprensa as descobrisse.

Também no Brasil a coisa foi explorada na revista Carta Capital  de 3 de Março do mesmo ano, onde Peter Schwartz (consultor da CIA) e Doug Randall (da Global Business Network)  afirmam que... «a mudança climática deveria ser elevada além do debate científico para uma preocupação mundial e da própria segurança nacional norte-americana».  Os autores do relatório asseveram mesmo que... «um cenário de mudanças climáticas catastróficas e iminentes é plausível e desafiaria a segurança nacional norte-americana de maneira que deveriam ser imediatamente consideradas».  Os dois previram enchentes generalizadas em algumas partes do Mundo a partir de 2005 (o que efetivamente se tem verificado) e o nível das águas dos Oceanos subiria  6 ou 7 metros devido aos degelos polares, o que poderá ter proporções calamitosas para milhões de pessoas.

"As guerras futuras serão travadas por sobrevivência", diz o Relatório  que traça um cenário avassalador para o futuro da Humanidade. Chuvas torrenciais cairão em muitos lugares destruindo barreiras, podendo mesmo tornar inabitável parte da Holanda que terá de reforçar seus diques. O mesmo sucederá ao Bangladesh que poderá ficar  submerso devido ao aumento do nível do mar que contaminará também seus suprimentos de água doce.

Cientistas de renome internacional visitaram a Casa Branca para exporem seus temores sobre os efeitos do  «Aquecimento Global», já que na tal reportagem na revista Carta Capital e segundo os investigadores Schwartz e Randall, «até 2020 faltas catastróficas de água e energia vão se tornar cada vez mais difíceis de superar e causarão guerras em redor do mundo... É uma coisa deprimente, a ameaça à segurança é única porque não existe um 'inimigo' para apontar nossas armas e não temos controle sobre a situação» .

O sombrio relatório termina com previsões apocalípticas, e refere algumas zonas do globo mais susceptíveis de serem afectadas, como a República das Maldivas, a América Central, a América do Norte e do Sul, parte da Europa, África, Ásia e Oceania.  

 

 

Com o derretimento das geleiras do Ártico já tão nítido nos nossos dias, a água doce será libertada juntamente com a chuva intensificada pelo "Aquecimento Global" e será misturada à corrente do Golfo, reduzindo a salinidade deste. Assim... «a corrente, hoje submarina, seria retida na superfície e perderia o seu ímpeto, travando a 'correia' transportadora que conduz calor das Caraibas para a Europa Ocidental». O resultado disso seria pois que os Icebergs chegariam à costa de Portugal e a Europa congelaria. Em 2020, a temperatura média já teria caido 3 graus na maior parte do Hemisfério Norte.

Outras previsões dão conta que... «uma redução significativa na capacidade do planeta em sustentar a sua população actual ficará evidente nos próximos 20 anos», pois haveria um aumento de 33% das temperaturas de verão nalguns paises, prevendo-se que «o clima começará a perturbar a economia à medida que chuvas diluvianas, secas e ondas de calor tragam o caos à agricultura».

O relatório diz ainda que lugares onde antes havia muito calor e seca poderão sofrer grandes inundações, e onde o calor era frequente mudará para dias muito frios. Isto vem ao encontro duma profecia do livro do Apocalipse que refere isso mesmo, dizendo que  «o que está frio fica quente, o que está quente fica frio, o que está  molhado fica seco, o que está seco fica molhado»... etc.  

Por fim, não há duvida que tudo isto vem ao encontro dos ‘sinais’ dos tempos anunciados por Jesus Cristo  no seu Sermão Profético sobre os acontecimentos de "Juizo Final", referindo que viriam "dias de Noé" (como no tempo do Dilúvio), porquanto ocorreriam  fenómenos climáticos como os que já estamos observando não só pelo famigerado "Aquecimento Global" como pela própria mudança de posição do eixo da Terra que ocorre ciclicamente e está se observando de novo no século actual. A última vez que tal aconteceu foi  há cerca de 12.000, provocando o desaparecimento da lendária Atlântida, pois a massa liquida do planeta de deslocou fazendo submergir várias partes do globo pondo outras a descoberto.

 

O mesmo parece estar a acontecer agora pelos degelos que se intensificam de forma irreversível dando origem ao aumento do nível das águas do mar que os cientistas vão alertando governos para a gravidade da situação, pelo um impacto terrivel que terá em  toda a civilização, pois haverá extensas zonas do globo que ficarão submersas, prevendo-se mesmo grandes exôdos de populações em busca de lugares mais seguros. Daqui resultará muita agitação social e dificuldade de controlar as multidões que invadirão paises ou locais onde possam ficar a salvo. 

 

 

O Relatório do Pentágono é avassalador e confirma aquilo que estava previsto há muito pelos profetas do passado que chamaram a atenção para o mal que sobreviria à Humanidade caso os homens continuassem suas loucuras destruindo a Natureza chegando ao limite de sua própria Degradação. Hoje, apesar dos alertas da própria Ciência que faz relatórios e estudos conclusivos, os homens continuam a fazer olhos cegos e ouvidos moucos, pouco ou nada fazendo para melhorar a situação, apesar dos acordos assinados sobre o clima.

Resta a esperança dos dias que virão depois deste Mundo sofrer uma grande Transformação. 

Pausa para reflexão!

Rui M. Palmela

 SITE NOVA ERA